terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Programa Xuxa Meneghel #66 (Especial Anos 80) - 05/12/2016

Colaboração: Leandro Franco

A 66ª edição do programa Xuxa Meneghel agradou em cheio aos fãs mais saudosistas. Seguindo a proposta de programas temáticos adotada em algumas edições, a atração dessa vez foi toda dedicada à década de ouro da nossa Rainha: os anos 80. A mesma fórmula foi utilizada no TV Xuxa (Rede Globo) quando foram exibidos programas dedicados aos anos 80 e 90. Engana-se quem pensar que a atração da Record foi um "mais do mesmo" exibido pela Globo em 2012. O programa de ontem mostrou que os anos 80 rendem mais do que se pode imaginar...

O momento de "Lua de Cristal": gravado, mas não exibido

Para a chamada da atração, o logotipo do programa foi alterado para um estilo de luzes neon e muita cor, mas infelizmente não foi aproveitado no programa em si, ficando restrito ao comercial que só começou a ser veiculado na programação da Record um dia antes.

Logotipo novo só para o comercial do programa

Apesar das chamadas caprichadas, a divulgação na TV vem deixando a desejar; o que não acontece nas redes sociais.


A cenografia mais uma vez foi impecável! Detalhes fizeram toda a diferença e transformaram o palco "clean" do Xuxa Meneghel numa explosão de cores para oitentista nenhum botar defeito. Estava tudo lá: desde os brinquedos mais famosos - Cai, Não Cai, Genius, Pula Pirata - em réplicas de tamanho gigante à escadaria colorida do Xou da Xuxa...

Pula-Pirata, jogo dos anos 80 que agrada até hoje

Sem esquecer dos jogos Atari (PacMan) e, claro, a Nave Xuxa, na versão rosa, que marcou presença através de uma projeção animada durante todo o programa. No chão, o famoso beijinho  autografado de Xuxa, que é tão famoso quanto à clássica pose da capa do disco Xou da Xuxa (Som Livre, 1986).

Beijinho, beijinho...

O programa foi, literalmente, um "xou" do começo ao fim. Sem matérias externas, Xuxa começou o programa, no mezanino, ao som da Banda Yahoo, que fez um medley de vários hits da Rainha.  O medley já é característico dos shows que a banda faz pelo Brasil afora. Infelizmente foram cortados, na edição final, a parte de Tindolelê e Lua de Cristal que são tocadas entre Ilariê e Doce Mel. Pra não dizer que ninguém viu, No resumo que é exibido no início da atração aparece um trechinho de Lua de Cristal... só pra deixar o povo com vontade.


Além da Banda Yahoo, outras atrações referência da década marcaram presença; algumas muito frequentes no palco do "Xou" (Patricia Marx e Luciano Nassin, representando o Trem da Alegria, e Sarajane, além da Banda Yahoo) e outras nem tanto (Blitz e Rita Cadillac - a ex-chacrete fez sua primeira participação num programa de Xuxa).



"Era uma vez um príncipe, uma princesa e uma Rainha..." - versão 2016

É bom para o moral, é bom para o moral...

Abre a rodinha, por favor, abre a rodinha...

Se o Xou da Xuxa era a referência de programas infantis, o Cassino do Chacrinha era a referência dos programas de auditório e isso não passou em branco. O programa homenageou o apresentador Chacrinha numa caracterização de Nany People, que, como o Velho Guerreiro distribuiu bacalhau (de verdade!) e abacaxis (de plástico) para a plateia. Nany também apresentou o concurso de calouros, que foi gravado a parte e acabou não sendo exibido.

Alô, alô, Teresinhaaaa!!! Ou seria Xuxinhaaaa?

Outra parte não exibida foi o dueto de Xuxa e Evandro Mesquita na música Garoto Problema, que integra o 1º álbum Xou da Xuxa. Curiosamente, utilizaram a 1ª versão da música, que saiu apenas na primeira tiragem do LP. Ô R7, libera o vídeo pra gente, vai?

Ele era um garoto só, mas não tinha pinta de bocó...

Inspiradíssima, nossa Rainha estava com uma animação contagiante, o que nos fez esquecer um pouco dos momentos de tensão com a aeronave que a levava para Teresina, na tarde de ontem, para a inauguração de mais uma Casa X. Durante todo o programa Xuxa brincou com sua risadinha que já se tornou um bordão após um vídeo viral no ano passado: ham ham hamham!

E ainda teve Paquitas, Dengue e Praga... mataram as saudades?

Outro ponto que surpreendeu foi a quantidade de merchandising: tivemos três - M&Ms, Raid Protector e Shoppings Sonae Sierra Brasil. Destaque para esse último que mostrou a bela campanha de Natal que tem como tema a música "Milagre da Vida". E os Shoppings Sonae Sierra ainda colocaram Sérgio Mallandro na carona do merchan. O humorista deu as caras nesse momento e acabou ficando até o fim da atração.

E não é que o Mallandro sabia até em qual disco foi lançada "Milagre da Vida"?

Em meio aos musicais, todos os convidados brincaram nas réplicas gigantes dos brinquedos. Curiosidade: na hora do Pula-Pirata, Mallandro fez tanta hora com a tal espadinha que acabou perdendo a brincadeira e teve que pagar uma "prenda". Xuxa determinou que ele devia dançar uma música dos anos 80 e Patrícia começou a cantar Sonho de Amor, só que a canção saiu em 1990. Ops!

Quando os dedos tocarem lá no... Genius

A parte mais aguardada ficou pro final e não aconteceu no palco. Lembram quando Xuxa entrevistou ela mesma no especial de 20 anos? A ideia foi melhorada e dessa vez a Xuxa do presente se encontrou com a Xuxa dos anos 80. Na verdade, não foi uma entrevista e sim um diálogo com muitas revelações para a Xuxa das antigas, que ficou impressionada com o corte de cabelo, o figurino e a maturidade da Xuxa atual. A loira mais uma vez mostrou que sabe rir de si mesma e mencionou acontecimentos que até hoje ainda rendem mimimi por parte de críticos e até mesmo "fãs", como os duendes, os terninhos, o cabelo e a troca de emissora.

Ham Ham Haaamm, você vai trocar de canal, tá?

A gravação aconteceu na semana passada com a ajuda de uma sósia da Xuxa, a Cintia Lopes, que vem se destacando por lembrar muito nossa Rainha.

Xuxa e Xintia: xó na xemelhança...

O programa pra fã nenhum botar defeito acabou não atingindo a audiência que todos esperavam. As últimas edições, que não tiveram apelo nenhum ao passado, registraram índices melhores. Um forte indício de que os "fãs" que reivindicam a todo custo o resgate ao passado como a solução para os problemas de aceitação e audiência do programa não estejam tão certos como se dizem.

Xuxa Meneghel Anos 80: na memória e no coração!

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Programa Xuxa Meneghel #65 - 28/11/2016

A 65ª edição do XM foi diferente. A produção apostou em mais um programa temático, com um cenário todo ambientado em uma comunidade tipicamente carioca. No mezanino, por exemplo, foi recriada uma laje de onde Xuxa iniciou o programa. O programa começou com Xuxa descendo a escadaria ao som de uma música da cantora Lexa, mas não foi nenhum dos hits da moça.  A funkeira gravou uma canção em homenagem a nossa Rainha, A música, até então inédita, traz várias referências aos sucessos de Xuxa (Lua de Cristal, Brincar de Índio) e também ao fato de Lexa ter o "X" de seu nome como uma homenagem à Xuxa. Tudo para o deleite dos fãs que sempre pediram entradas triunfais de Xuxa no palco. Ok, não foi tão triunfal, até porque cortaram o início... Xuxa começava o programa sentada em uma das cadeiras de praia e se dirigia à escada, entretanto na edição final, a imagem já começa na escada.



Na parte de baixo do cenário, um novo ambiente típico das comunidades foi recriado: mesinhas de bar, muitas plantas, bacias de roupa, botecos. Os convidados da noite tomaram seus lugares por todo o cenáro. Ludmilla, Dudu Nobre, MC Marcinho e o grupo Sambô se espalharam pelo ambiente, acompanhados de seus bailarinos.


Logo de início, ao lado da cantora Ludmilla, Xuxa mostrou através de um VT a história do professor de dança Felipe Oliveira, que ajuda crianças carentes de uma comunidade do Rio. Ele e seus alunos já estavam a caminho do estúdio em um ônibus, sem saberem da surpresa que a produção do programa havia preparado. Apesar de terem gravado a participação de Felipe e das crianças no palco logo no começo - a pedido de Xuxa, para que as crianças não ficassem cansadas e pudessem logo voltar para suas famílias - toda a surpresa só foi exibida do meio pro final.


Antes disso, tivemos uma rápida participação do cantor MC Marcinho, fazendo a vez do funk.


Em seguida, o grupo Sambô teve uma participação em clima de nostalgia (um aquecimento para um dos próximos programas que será dedicado aos anos 80): Xuxa realizou o sonho do vocalista, que havia confessado que seu sonho era tomar café da manhã com a loira. O desejo foi prontamente atendido: a assistente Ana Cecília trouxe ao palco uma bandeja de café da manhã com toda pompa, como nos tempos do Xou. Teve até a música "Quem Qué Pão";  Xuxa se animou e arriscou uns passinhos da coreografia original.


Em seguida, outro integrante perguntou o que tinha dentro da nave e Xuxa não fez cerimônia em responder. "Muita gente se decepcionava pois achava que a nave realmente saía do estúdio".


Falando em nostalgia, o programa contou com a presença de duas dançarinas muito conhecidas dos fãs: Fabrilla e Michele, que fazem parte da equipe de dançarinos do XuChá e ficaram anos ao lado da Rainha como "Xuquitas" nos tempos do TV Xuxa.


Na hora de sua participação, Dudu Nobre, além de cantar, relembrou o que ele considera ser seu momento mais marcante ao lado de Xuxa: o nascimento de Olívia, segunda filha do cantor com Bombom, sua ex-mulher. Xuxa estava presente na hora do parto e até fotografou. Mais detalhes dessa história foram contadas pro R7, nos bastidores do programa, postado no Youtube:


Encerrando a atração, foi mostrada a chegada do ônibus com Felipe e seus alunos no palco. Xuxa os recebeu na porta do ônibus. Professor e alunos estavam incrédulos com tudo que estava acontecendo e a emoção atingiu seu ápice quando a cantora Ludmilla entrou cantando um de seus hits e se juntou ao grupo. Até então Felipe e seus alunos achavam que só estavam no programa para apresentar sua dança e não faziam ideia que teriam um encontro com sua musa.


A emoção das crianças foi genuína e foi impossível para nós, que estamos na faixa dos 30/35 anos, não fazer uma ligação imediata com nossa infância, quando qualquer criança teria a mesma reação daquele grupo se visse a Xuxa. Os tempos mudaram, as gerações mudaram, os ídolos mudaram, mas uma coisa permanece: ninguém entende de realizar sonhos como Xuxa. Se ela não é o sonho, ela ainda é o caminho para ele.



quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Programa Xuxa Meneghel #64 - 21/11/2016

O 64º programa Xuxa Meneghel começou dando continuidade à edição #62, ao exibir a externa que Xuxa realizou na cidade de Penápolis/SP com o garoto Otávio e sua mãe Cristiane. Para quem não se lembra (ou não viu), Otávio tinha um sonho de poder estudar numa escola particular, o que era inviável pela condição financeira de sua mãe. No último dia 04, Xuxa cumpriu a promessa de que faria o possível para realizar o sonho do menino.  "Sonhos sempre vem pra quem sonhar..."


A emocionante matéria não se estendeu muito e logo deu lugar a mais uma externa, que mostrou nossa Rainha na casa do cantor Fernando, da dupla Fernando & Sorocaba. Ao lado da sua esposa e suas duas filhas, o cantor concedeu uma descontraída entrevista e participou de algumas brincadeiras. O bate-papo se estendeu até quase a metade da atração. 


Mikelly Medeiros, a esposa de Fernando, teve grande destaque durante a entrevista e foi surpreendida pela nossa Rainha, que levou um chapéu de Paquita, já que esse era um grande sonho da moça.


A longa matéria foi encerrada com uma roda de sertanejo, em que Fernando cantou ao lado da dupla Cleber & Cauan e da cantora Lauana Prado.


No palco, Xuxa recebeu os cantores Pablo (que já havia participado ano passado no programa #16) e Naiara Azevedo, famosa pela música "50 Reais". A música já é sucesso no Brasil inteiro e, claro, o programa entrou nessa onda... Enquanto Naiara cantava a música, Xuxa distribuía para os convidados e a plateia várias notas de 50 reais com a imagem da moça. 


O sucesso que "50 reais" faz na internet também inspirou Xuxa a fazer um vídeo da música, que por sua vez não tem videoclipe oficial. A letra, que fala sobre o flagra da cantora em seu namorado com outra mulher, levou Xuxa a ousar um pouquinho e gravar o vídeo um quarto de motel ao lado do seu repórter de bastidores, Fernando Sampaio, e de Lívia Dabrian, a ex-integrante do grupo Oxigênios que participou da esquete que abriu a edição de estreia do programa, em 17/08/2015.


O programa exibiu uma versão compacta do clipe, que foi postado na íntegra, minutos depois, no canal do programa no YouTube e teve enorme repercussão, sendo noticiado em vários sites e atingindo até o momento em que esse post foi escrito mais de 100 mil views.


Pablo e Naiara ainda revezaram a participação no Divã da Xuxa. Os dois cantores responderam a algumas perguntas polêmicas de pessoas nas ruas. Foi a segunda edição do quadro, que estreou com o cantor Lucas Lucco no programa #61.


A atração dessa vez procurou dosar bem o tempo entre as externas e o que foi gravado no palco e teve um grande acerto na esquete baseada na música de Naiara, tipo de quadro que era uma das promessas no início e até então permanecia pouco explorado. Mais uma vez ficou provado que a veia cômica de Xuxa é garantia de sucesso.

domingo, 20 de novembro de 2016

Os (quase) 30 anos de Xuxa em “Os Trapalhões e o Rei do Futebol”

Por: Jamur

A parceria de Xuxa com os Trapalhões é longa e sólida. Amiga de Renato Aragão até hoje, a primeira aparição da Rainha com os humoristas foi em 1981, numa figuração no programa da Rede Globo. Já a primeira aparição nos cinemas ao lado do humorista aconteceu em 1983, na qual Xuxa fez o par romântico de Didi na última cena de “O Trapalhão na Arca de Nóé”.


Capa da revista Manchete, publicada em 24/12/1983, com reportagem sobre o filme
"O Trapalhão na Arca de Noé"

Foto publicada na revista Manchete de 24/12/1983
Apesar de ter entrado muda e saído calada, Xuxa acabou conquistando a simpatia de Renato, que a convidou para o seu filme seguinte, que marcou a reconciliação do quarteto, após seis meses de separação: “Os Trapalhões e o Mágico de Oróz” (1984). Nesse filme, Xuxa interpretou uma professora chamada Ana, e, ao contrário do filme anterior, nesse ela teve certo destaque. 


Não demorou para que Xuxa co-protagonizasse um filme dos Trapalhões e isso já aconteceu no ano seguinte em “Os Trapalhões no Reino da Fantasia” (1985). Nesse longa, além do seu tempo de tela ter sido o mesmo dos demais Trapalhões, a loira virou praticamente uma quinta “trapalhona”, participando de praticamente todas as cenas de ação típicas dos filmes do quarteto, como escalar muros e entrar em diligências em movimento.


E é justamente com relação aos bastidores desse filme que, enfim, começamos a entrar no tema central dessa publicação. Nesse ano foi publicado pela Editora Laços o livro “O cinema dos Trapalhões – Por quem fez e por quem viu”. Ele conta com uma série de depoimentos, coletados por Rafael Spaca, de pessoas que participaram dos filmes, tanto a frente, quanto atrás das câmeras. 

Rafael Sparca no lançamento do livro de sua autoria, "O Cinema dos Trapalhões -
Por quem Fez e por Quem Viu"

Na entrevista concedida por Teresa Prata, que foi continuísta e assistente de montagem de diversos filmes dos Trapalhões, ela conta uma curiosidade sobre o relacionamento de Xuxa com Pelé. “Os Trapalhões no Reino da Fantasia” foi filmado boa parte em Santa Catarina, na área onde hoje é o Parque Beto Carreiro World. Por conta disso, Xuxa e toda a equipe ficaram hospedadas em um hotel de Camboriú.



Mas, na época, as tecnologias de comunicação ainda eram precárias. Não existia celulares e nem internet comercial. Com isso, o hotel onde a Rainha estava só possuía uma linha telefônica. Porém isso não impedia que o casal de namorados se falasse diariamente. Segundo Teresa, todos os dias, ao final das filmagens, eles se falavam durante 1 hora e meia. Em um dos dias, Xuxa foi correndo atender ao telefone na cabine que ficava na recepção do hotel e levou um tombo. De acordo com Teresa, somente após terminar a sua conversa com Pelé que Xuxa se deu conta que tinha ralado uma de suas pernas de maneira bem feia.


A Rainha relembrou essa mesma história no quadro Papo X, do TV Xuxa, exibido em 30/05/2009:




Finalmente chegamos ao ano de 1986. Ano decisivo na carreira de Xuxa, que resultou em algo histórico para a televisão brasileira, que dispensa apresentações. Em paralelo, Os Trapalhões estavam preparando o seu tradicional longa metragem para as férias de inverno: “Os Trapalhões e o Rei do Futebol”. Desta vez, Renato Aragão realizaria o seu sonho de ter na direção Carlos Manga, que dirigiu diversas chanchadas da Atlântida, protagonizadas por Oscarito e Grand´Otelo, os maiores ídolos de Renato. E a vontade era de também manter a tão bem sucedida parceria com Xuxa, ainda mais que o filme teria a presença de seu namorado, Pelé. Porém, ela não participou do filme.



Qual teria sido o motivo da desistência? De acordo com o mesmo depoimento de Teresa Prata para o livro de Rafael Spaca, Xuxa estaria insatisfeita com o papel. E, após a saída da loira, o roteiro do filme teve que ser um pouco mudado. Já a justificativa oficial dada pela Rainha, na matéria publicada pela Folha de São Paulo de 26/06/1986, é que ela não participou do filme pois a sua agenda estava lotada.


Quem interpretou a personagem de Xuxa foi a sua amiga Luiza Brunet.


A justificativa da Xuxa é plausível. As filmagens do filme se estenderam até meados de abril/1986, época em que a loira estava totalmente imersa no planejamento do Xou da Xuxa. O filme acabou sendo lançado 4 dias antes da estreia do programa.

Xuxa, em 1986, meses antes de estrear o "Xou"

Infelizmente, não há informações de como seria a personagem na primeira versão do roteiro. Mas na versão definitiva do filme, Luiza Brunet interpreta Aninha, dona da lancheria da sede do “Independência Futebol Clube”. Aninha se apaixona pelo técnico do time, Cardeal (Renato Aragão), que estava se candidatando a presidência do clube, para o desespero do presidente atual, interpretado por José Lewgoy.  Para fazer Cardeal desistir da ideia, Aninha é sequestrada por seus capangas. Mas, claro que ela acaba sendo salva e tudo termina bem. Curiosamente, a personagem da Luiza praticamente não troca palavras com o personagem do Pelé. Será que seria diferente com a Xuxa no elenco?


Se não rolaram as comemorações dos 30 anos de Xuxa no filme “Os Trapalhões e o Rei do Futebol”, em breve aqui no blog haverá postagens sobre dois filmes que estão fazendo aniversários “redondos” nesse ano: “Xuxa e os Duendes” (2001) e “Xuxa Gêmeas” (2006). Aguardem!

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Programa Xuxa Meneghel #63 - 14/11/2016

O 63º Xuxa Meneghel teve as participações das duplas Chitãozinho & Xororó, Bruno & Marrone e do comediante Tirullipa. Não houve  nenhuma externa, algo raro de acontecer. As duas duplas divulgaram o DVD/CD "Clássicos", que reúne grandes sucessos dos sertanejos. Logo de início, o cantor Leonardo apareceu num VT falando de sua amizade com os cantores, mas o que mais chamou atenção - de quem estava assistindo em casa e também dos convidados - foi a estado "feliz" do homem, parecia que estava "calibrado" ou num "grau", como disse Bruno. Leonardo tava tão soltinho que aproveitou pra lembrar Xuxa que ela não o convidou pro programa: "Ô Xuxa, a gente sempre foi tão amigo... por que você não me chama pra esse seu programa?".

Xuxa e seus convidados conferem "grau" do cantor Leonardo

Foi engraçado, mas um pouco embaraçoso também. Xuxa, claro, soube driblar a "chamada" e convidou o homem. Só lembrando: Leonardo deu as caras pela última vez num programa da loira na temporada 2011 do TV Xuxa.

Xuxa e Leonardo nos bastidores do TV Xuxa, em 2011

A grande aposta da noite foi o quadro "Amigo X", que dessa vez se transformou em "Inimigo X". Tirullipa, filho de Tiririca que já esteve ao lado da Rainha algumas vezes nos tempos do Xuxa Park e hoje tem vários vídeos virais na internet, se tornou o misterioso inimigo oculto e fez algumas revelações sobre cada um dos integrantes das duplas.
Baseado em histórias reais coletadas junto a amigos das duplas, o humorista criou novas histórias com trollagens e mentiras, na tentativa de tornar o quadro mais engraçado. Não funcionou muito bem. O desconforto de Bruno foi evidente - pelo menos pra quem assistiu pela TV - e isso se estendeu por boa parte do quadro, tempo que poderia ser aproveitado com um bom bate-papo que sempre funciona e garante bons momentos, como exemplo mais recente temos o programa #61, que também recebeu atrações sertanejas. 

"Tá gostando, tá? Tá querendo, tá?"  ...Há controvérsias...


Após a revelação da identidade do "Inimigo X", Tirullipa passou a ser o centro das atenções em uma apresentação de seu stand up no palco. O rapaz entretém, embora lance mão de piadas já batidas: a paródia de "Single Ladies", conhecida como "Docim de Leite" é algo que Katiuscia Canoro, a Lady Kate, já fazia repetidamente no Zorra Total (Rede Globo) em 2009; Tirullipa só deu uma incrementada usando uma espécie de "extended version". 

O melhor momento de Tirullipa: informações no trânsito de um jeito bem peculiar


Falando em estender, um dos momentos divertidos foi quando o rapaz imitou um suposto primo que gesticulava muito ao falar e numa ocasião em que suas mãos estavam ocupadas, ele arrumou um jeito bem peculiar de informar um caminho no trânsito. A performance agradou, Xuxa se empolgou e pediu pra ele repetir, enquanto ela o imitava. O mesmo número também foi divulgado previamente em um dos vídeos de bastidores do programa. Gostaram mesmo!





Depois do caminho meio tortuoso das piadas do Tirullipa, a atração voltou ao trilho com o retorno das "caixas", que não apareciam no programa desde o começo do ano. A dinâmica de tirar da caixa um objeto de valor afetivo de cada um dos participantes seguido de VTs com depoimentos de familiares foi preservada e rendeu momentos e conversas interessantes. Foi uma das primeiras vezes que o público pode conhecer um pouco mais de Théo, filho de Sandy e neto de Xororó: o menino fez um desenho e ainda gravou uma mensagem de voz especialmente para o vovô-coruja.

Tirullipa se revela como o "Inimigo X" das duplas


Graças ao quadro, descobrimos que Xuxa gosta de Game of Thrones! A caixa de Chitaõzinho trazia miniaturas de dragões feitos por Enrico, seu filho de 14 anos.

Os lindos dragões feitos por Enrico, filho de Chitãozinho

Xuxa contou que ganhou um desses dragões quando conheceu o adolescente e gostava de colocar o bicho nos ombros pra sentir "a menina de Game of Thrones, sabem?". Xuxa se referia à  Daenerys Targaryen, uma das protagonistas da série.

"Dracarys" ou "Xuxarys" ?


No final, Tirullipa voltou a chamar atenção quando recebeu sua filha no palco para cantar um dos seus webhits, "Dança do Ganso", que tem a citação de vários famosos - personagens infantis e artistas - , com direito a reclamação de Xuxa no final: "Por que não tem eu na música?". A Rainha foi prontamente atendida com um verso improvisado.

A filha de Tirullipa se emociona com a Rainha

O programa novamente mostra que o que funciona muitas vezes deixa de ser explorado por conta da insistência em alguns quadros que poucas rendem o esperado, como é o caso do "Amigo X", mas soube se equilibrar quando seus convidados foram bem aproveitados de uma maneira realmente interessante. 


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...