sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Vídeo Exclusivo: Karaokê da Xuxa 30 anos

O aniversário de 30 anos do "Karaokê da Xuxa" foi ontem, mas hoje ainda tem festa! Confiram nosso vídeo comemorativo sobre o disco:

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

"Karaokê da Xuxa" - 30 anos

O ano de 1987 foi realmente um divisor de águas na carreira de Xuxa. Consolidada como apresentadora infantil na Rede Globo, a loira começou o ano como a recordista de vendas de LPs no Brasil, desbancando Roberto Carlos. Paralelamente, empresas de todos os ramos queriam Xuxa em seus produtos. Em nenhum outro ano foi lançada tanta coisa com o nome de Xuxa de uma só vez: boneca, sandalinha, bota, bichos de pelúcia, dicionário, álbum de figurinhas, VHS, jogos de tabuleiro.

Páginas do jornal O Globo e da revista Afinal de 1987 confirmam: Xuxa vende tudo!

Música e brinquedo, eis a representação maior do “toque de Midas” da loira. Baseada nisso a Globo Discos resolveu investir num disco para brincar e, claro, tinha que ser da Xuxa! Assim nasceu o Karaokê da Xuxa, lançado em 16 de novembro de 1987.



Lá vem Papai Noel todo contente...
A gravadora já tinha lançado um disco naquele ano (o “Xegundo Xou da Xuxa” saiu em junho) que ainda vendia bem; não seria arriscado soltar um novo álbum em tão pouco tempo? Não se a proposta fosse outra; e era! A série “Xou da Xuxa” foi concebida para ser a trilha do programa de TV, o “Karaokê da Xuxa” veio para ser a trilha das brincadeiras e festinhas das crianças.

A proximidade com Natal foi estratégica: em que outra época, além do Dia das Crianças, as vendas de discos infantis e brinquedos aumentam? Natal, claro!  Tudo se encaixa: Xuxa vende bem disco e brinquedos; as vendas desses itens se aquecem no Natal... Por que não fazer um disco para brincar para ser vendido no Natal?



Baixinhos na euforia, vibrando de alegria...
O Karaokê da Xuxa conta com 10 músicas em versão “karaokê” e 4 faixas inéditas: Estrela Guia, Beijinho Beijinho, Parabéns da Xuxa e Papai Noel dos Baixinhos.
Agora o baixinho podia brincar de fazer em casa a sua própria performance das principais faixas da loira e, de quebra, ainda tinha música para o aniversário e Natal. Não tinha aquela história de que toda menina queria ser Paquita? Pois agora toda criança podia ser a Xuxa! Bem melhor, não?

"Solte a Xuxa que existe em você, já saiu o Karaokê"

Claro que a gravadora não seria ingênua de colocar nas lojas um disco da Xuxa “sem a Xuxa”. Por isso, as quatro músicas inéditas foram o chamariz do disco. Primeiro, Estrela Guia, o que era óbvio pela proximidade com o Natal e, depois, Parabéns da Xuxa, que se tornou o maior sucesso do disco até hoje.


A própria Xuxa deixava claro no programa que o “Karaokê” não era um disco que dava continuidade à série do Xou:

Tem o disco de Karaokê para vocês botarem a voz de vocês com as músicas do primeiro e do segundo disco. Eu o vejo mais como um brinquedo e não como um disco.” – disse a loira durante um Xou da Xuxa exibido em janeiro de 88, quando fez uma breve retrospectiva de sua discografia.


Bate bate palma que é hora de cantar...
As 10 músicas em versão karaokê se dividem entre 4 faixas do disco “Xou da Xuxa” (1986) e 6 faixas do “Xegundo Xou da Xuxa” (1987). Não há muito o que se falar das faixas: são as versões instrumentais das músicas com o coro. Os backing vocals originais, bem como os arranjos de forma geral foram mantidos. Somente a música Doce Mel pode ser chamada de karaokê “puro”, pois não há nenhum acompanhamento vocal. Além disso, a voz de Xuxa ainda pode ser ouvida nas canções Circo e Croc Croc, nas partes faladas das respectivas faixas.

O "Xegundo" saiu na frente na disputa para a tracklist do Karaokê


Ainda assim, temos algumas curiosidades sobre algumas faixas que trouxeram “novidades” aos ouvidos mais atentos:
*  Turma da Xuxa: a versão instrumental se assemelha à que era executada no primeiro ano do programa e que é diferente da que entrou no disco Xou da Xuxa. Comparando as duas versões (Karaokê e Xou da Xuxa), nota-se que por volta de 1:15 existe uma batida “a mais” na versão Karaokê. Essa diferença também pode ser notada no clipe da música que veio na VHS “Xou da Xuxa I” (Globo Vídeo), deixando claro que o instrumental realmente é da primeira versão.




*  Nós Somos o Amanhã: A versão instrumental também é a da primeira versão da música, que foi tocada no Xou da Xuxa “Especial Criança Esperança” de 1986, e sua duração é maior por conta do final prolongado. A introdução também é diferente. No player abaixo temos a comparação das faixas em seu final:




A diferença na duração da faixa deixa claro que a versão do Karaokê realmente não é a mesma do Xegundo Xou da Xuxa


*  Meu Cãozinho Xuxo: a introdução e o final são diferentes da versão lançada no disco de 1986. Os latidos/ganidos do Xuxo são outros. No player colocamos o início das duas canções, onde as diferenças são mais evidentes. Lembrando que a versão do Karaokê é sempre a segunda em todas essas comparações que fizemos:





Hoje vai ser uma festa...
Aniversário e Natal! Essas são as festas que norteiam a parte inédita do Karaokê da Xuxa. A primeira coisa a se esclarecer sobre essas músicas é: elas não são sobras do “Xegundo Xou da Xuxa como muitos fãs acreditam, baseados no simples fato de terem saído no mesmo ano que o disco anterior.

No “Xegundo”, todas as músicas (exceto Nós Somos o Amanhã) têm o arranjo musical produzido pelo Roupa Nova, já nas faixas do Karaokê os arranjos são feitos pelo instrumentista e compositor João do Amor Divino Moraes, que coleciona trabalhos com grandes nomes da MPB. Não faria sentido escalar toda uma nova equipe de músicos e instrumentistas para gravar “sobras”, correto?  Ah, é bom salientar que na primeira versão em CD do Xou da Xuxa (1995), o encarte traz a informação de que Parabéns tem arranjos do Roupa Nova, mas isso foi corrigido posteriormente e também está no site oficial do ECAD para quem quiser conferir. Então vamos ao que interessa:


Estrela Guia (Natal) (Michael Sullivan / Paulo Massadas)



Uma das faixas mais tocantes de toda a carreira musical de Xuxa, Estrela Guia foi o primeiro tema natalino da Rainha e também a primeira “música de trabalho” do Karaokê. Se tornou o tema “oficial” de Natal da loira, tanto que seu nome “alternativo” é “Natal”.

O primeiro clipe da canção foi gravado na Igreja Nossa Senhora da Penna, em Jacarepaguá/RJ

Em 1987 a música era cantada mesmo nos programas “comuns”, sem cenário de Natal. Xuxa apresentava a canção sentada no famoso banquinho de cogumelo e com as crianças sentadas ao seu redor. Tudo para que os baixinhos aprendessem bem a letra, pois isso seria importante para que pudessem participar da Promoção Karaokê da Xuxa (falaremos disso na parte de divulgação).

Em novembro de 1987 a música já era executada.
Nos anos seguintes,  Estrela Guia passou a ser apresentada somente nos
programas especiais de Natal (ou na semana do Natal)


Curiosidades
🎤 Em 2009, Xuxa regravou a canção com novos arranjos para o volume 9 do XSPB, Natal Mágico.

🎤 Estrela Guia entrou para a coletânea natalina “Navidad em las Américas”, lançada pela Walt Disney Records em 1994. O disco trazia faixas de Ricky Martin, Chayanne, Tito Puentes, Celia Cruz e todas as faixas são em espanhol, menos a de Xuxa e a de Chayanne (inglês). Lembrando que existe a versão em espanhol, Estrella Guia, nunca lançada comercialmente.

O CD Navidad en las Américas teve duas capas:
uma para os EUA e México (azul) e outra para a América Latina (vermelha)




🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤

Beijinho Beijinho (Kiko Zambianchi / Xuxa)


O clássico bordão de Xuxa, “beijinho, beijinho, tchau, tchau”, conquistou tamanho sucesso que virou até música pelas mãos de Kiko Zambianchi. Xuxa, claro, também figura como compositora, afinal foi ela que inventou o bordão. 

Xuxa e Kiko Zambianchi: reencontro no Xou em 1989


Não existe letra adicional – aliás nem no encarte do Karaokê se deram ao trabalho de escrever a letra (o “tchau tchau, pelo menos) – mas mesmo assim a Rainha a cantou diversas vezes no programa. O divertido era ver Xuxa na coreografia bem, digamos, interessante.


Curiosidades:
🎤 Beijinho Beijinho foi usado como tema de encerramento de bloco do Xou da Xuxa até a temporada de 1990.

🎤 Beijinho Beijinho também foi o nome da empresa que Xuxa criou em 1987 para cuidar de parte de seus negócios (licenciamento de produtos e discos). Até então tudo era administrado pela Xuxa Promoções e Produções Artísticas, que passou a cuidar somente da parte de shows, filmes e participações de Rainha em programas de TV (informações da revista Vogue, janeiro/1990).

🎤 Mesmo com a letra baseada única e exclusivamente no bordão de Xuxa, a faixa tem papel importante na discografia da loira, a ponto de estar na coletânea Xuxa Pérolas (Som Livre, 2000).

🎤  A música fazia o encerramento dos shows na turnê Xuxa Circo, realizada em 2004.



🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤


Parabéns da Xuxa (Michael Sullivan / Paulo Massadas)

"Bolo e guaraná, muito doce pra você"


Música de maior sucesso do disco, Parabéns da Xuxa reinventou o modo de se cantar parabéns nas festinhas de aniversário. Foi a primeira a ser mostrada ao público, em agosto de 1987, três meses antes do lançamento, com arranjos diferentes. Ouça:



No episódio dedicado ao universo infantil dentro da série de programas “Os Anos 80 Estão de Volta”, exibido no fim de 2016 no Canal Viva, Michael Sullivan relembrou do “feito” de Parabéns da Xuxa:

     "  Fizemos até outro parabéns, até o Aramis (Barros) brincou comigo... "Se fazer música popular fosse fácil, nós fazíamos outro Parabéns Pra Você". Aí nós fizemos e ele falou "Queimei minha língua, vocês fizeram outro Parabéns Pra Você".


Curiosidades:
🎤 Mesmo com o lançamento do disco, onde a faixa teve arranjos parcialmente modificados, a primeira versão continuou a ser tocada no programa até o final de 1989, quando a música deixou de fazer parte do roteiro do programa.

Parabéns da Xuxa: a canção fez parte do programa até o final de 1989


🎤 A primeira parte da música, onde Xuxa canta sem o coro, não era executada no programa e é justamente nessa parte onde as diferenças entre as versões são mais perceptíveis. O pouco que se conhece pode ser ouvido durante os sorteios do programa especial de Dia das Crianças de 1987.


🎤 Regravações: Em 1999, Xuxa regravou a música dentro de um pot pourri lançado no álbum Xuxa 2000. Outra regravação aconteceu em 2002 para o programa Xuxa no Mundo da Imaginação, mas nunca foi lançada. A última regravação aconteceu em 2005 para o XSPB 6 – Festa.

Parabéns ganhou uma versão especial para o
programa "Xuxa no Mundo da Imaginação" em 2002


🎤 Assim como Beijinho Beijinho, sua colega de “Karaokê”, Parabéns também foi escolhida para estar na coletânea Xuxa Pérolas.

🎤Parabéns da Xuxa antes da Xuxa: sim, teoricamente, a música é do tempo dos dinossauros, sabia? Calma que a gente explica... Em 1992, o seriado Família Dinossauro (produção da Walt Disney Television) estourou aqui no Brasil e era uma das atrações do Xou. No embalo do sucesso, uma das apostas do selo Xuxa Discos foi lançar Baby e sua família como cantores. Parabéns da Xuxa foi regravada pelo “Baby” (voz de Marisa Leal, a mesma que anos depois também fez a voz da Xuxinha) e as Paquitas.

Parabéns pré-histórico: desde os tempos da Família Dinossauro


🎤Parabéns ao Parabéns da Xuxa: Em abril de 2010, uma pesquisa divulgada pelo Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (ECAD), mostrou que a música "Parabéns da Xuxa" foi apontada como a segunda mais tocada em festas, perdendo apenas para o clássico "Parabéns pra Você". E pensam que parou por aí? Há exatamente um mês, foi divulgada a lista atualizada dessas canções e quem está lá? Parabéns da Xuxa! A faixa é a única música infantil que permanece no top 15 das músicas mais tocadas em festas nos últimos 4 anos.


Parabéns da Xuxa: única música infantil no top 15 das mais tocadas nas festas



🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤 X 🎤


Papai Noel dos Baixinhos (Irany de Oliveira / Xuxa)




Embora tocasse como música de fundo no Xou diversas vezes, a faixa não foi trabalhada e acabou sendo esquecida com o tempo. Em 2002, foi relembrada e ganhou um clipe no especial de natal do “Xuxa no Mundo da Imaginação.

A importância de Papai Noel dos Baixinhos reside no fato de quem a compôs. A faixa foi a terceira incursão de Xuxa como compositora, mas não é da nossa loira que estamos falando. Queremos falar de Irany de Oliveira. O compositor também foi responsável por canções infantis que marcaram gerações, em especial a geração de Xuxa. A Rainha sempre contou o quanto gostava do Palhaço Carequinha. Pois foi Irany quem compôs alguns dos maiores sucessos do artista como “O Bom Menino”, “Parabéns, Parabéns” e “Lá vem Papai Noel”.

Já imaginaram como foi para Xuxa poder gravar uma música da mesma pessoa que fez canções que ela cantava quando era criança e que eram interpretadas por alguém que assim como ela marcou a nossa infância, marcou a dela?

 Xuxa e o saudoso Carequinha em 1984 e 2004
O artista foi uma das referências da infância de Xuxa

A letra de Papai Noel dos Baixinhos lembra a de “Lá Vem Papai Noel”, gravada por Carequinha em 1958. É fácil identificar a "assinatura" de Irany, até mesmo pelo uso de "trolinho", palavra já em desuso mesmo no ano de 1987. Se resta alguma dúvida, trolinho é uma espécie de pequena carroça, no caso, o trenó do Sr. Noel. Deem uma conferida na comparação:




Cantando bem feliz no seu trolinho
Bom, você não precisava do trolinho para cantar, mas ter um microfone era uma boa ideia. Pensando nisso a gravadora incluiu como brinde um microfone para a criança montar e soltar a voz.

Microfone e recadinho da Xuxa... presentão para os baixinhos!


O modelo, que vinha na primeira tiragem do álbum, era semelhante ao utilizado por Xuxa; um padrão nos programas da TV Globo na época. Todo mundo tem como referência o “microfone de carinha” que Xuxa usava.


O microfone do Karaokê pode ser considerado o
protótipo do microfone que a Mimo lançou em 1989

Sabiam que esse que veio no Karaokê foi o primeiro nesse estilo? Nos programas, o verdadeiro microfone de carinha só foi aparecer no último programa de 1988, mais de um ano depois do Karaokê sair. No 1º Xou da Xuxa, a loira até chega a usar um microfone com carinha, mas num estilo diferente e que logo foi descartado.
A carinha do microfone na capa do disco foi colocada posteriormente na edição; tanto que é possível perceber até a lateral do microfone na foto e o desenho “vazando” por cima.

Nessa época Xuxa ainda não usava o microfone tão famoso, os olhinhos e a boca foram incluídos depois, no processo de edição da foto. E quem mais reparou que o microfone só fica feliz quando é a Xuxa que está cantando?



Quem é que nunca esperou...
Ah, os lançamentos dos discos da Xuxa. Que baixinho dos anos 80 não esperava ansiosamente por eles? O Karaokê saiu em dois formatos: LP e K7. O LP, como já dissemos, trouxe como atrativo o microfone de montar, já a K7 – como de costume – não tinha nenhum atrativo.



A edição em LP teve três tiragens com diferenças significativas: duas pela Globo Discos e uma pela Som Livre.  Somente a primeira trouxe o microfone, tanto que essa informação foi suprimida na contracapa das tiragens seguintes.
A partir da segunda tiragem (Globo Discos) a capa passou a contar com um aviso “Incluindo Parabéns da Xuxa” na parte superior. Uma prova de como a música tinha crescido e passou a ser o principal atrativo do disco.

A partir da 2ª tiragem, Parabéns ganhou destaque na capa e a menção ao microfone foi excluída


Curiosidades
🎤 Globo Discos x Som Livre: por que existe a diferença Globo Discos e Som Livre, se Xuxa sempre foi contratada da Som Livre? A Globo Discos nada mais era que um selo da Som Livre, que funcionou entre agosto e dezembro de 1987. No segmento infantil lançou, além do Karaokê, o disco da Turma da Mônica.



🎤 Sem CD: reforçando a ideia de que o disco era um “extra” na discografia de Xuxa, tipo um brinquedo, a Som Livre o excluiu da lista dos álbuns que seriam lançados em CD por não existirem no formato. Assim as faixas inéditas foram migradas e dividas entre os discos Xou da Xuxa e Xegundo Xou da Xuxa que ganharam sua primeira edição em CD no ano de 1995. Infelizmente as faixas foram “jogadas” na tracklist desses discos sem qualquer preocupação com a preservação da concepção original dos álbuns. Uma pena, mas ainda é melhor do que não tê-las lançadas. (Comentamos sobre essa alteração na lista de músicas dos CDs aqui e aqui)


Inéditas do Lado A realocadas no "Xegundo" e as do Lado B no "Xou da Xuxa" já que o o Karaokê não foi lançado em CD

🎤 Meu CD: As faixas instrumentais, como dissemos, não foram lançadas em formato digital. Bem, não todas... Duas delas, Turma da Xuxa e Meu Cãozinho Xuxo chegaram a existir oficialmente no formato. Em agosto de 2002, a Som Livre lançou o “Meu CD”, serviço em que o consumidor podia escolher 12 músicas do catálogo da gravadora para fazerem parte de um CD personalizado. O pedido era feito via internet, telefone ou carta-resposta e custava R$19,90. Na parte dedicada às músicas da Xuxa havia boa parte dos discos “Xou da Xuxa” e para surpresa, essas duas faixas do Karaokê. Apenas elas. Quem as escolheu para compor o “Meu CD” acabou conseguindo o único registro digital dessas músicas.

No "Meu CD" cabiam 12 faixas, bem que podiam ter liberado
as 10 faixas do Karaokê, ao invés de apenas 2


Vamos festejar, os amigos receber
Ora, o Karaokê pode até não ser um disco de carreira de Xuxa, mas ganhou divulgação como tal. Para o lançamento, duas ações foram criadas: uma promoção e o show de lançamento.

A promoção funcionava assim: as crianças tinham que escrever a letra completa de Estrela Guia numa cartinha e enviar para o programa. As 200 primeiras cartas que chegassem ganhariam o LP. Bacana, né? Ah, os anos 80... Se fosse hoje seria algo como “vá ao Twitter, escreva o nome da música de Natal que a Xuxa cantou hoje, use a hashtag #KaraokedaXuxa e peça pros amigos retuitarem. As 200 mais retuitadas receberão um código para baixar o disco nas plataformas digitais de graça”. Só que a essa altura teria mais compartilhamento de link para baixar o disco ilegalmente que dos tuítes da promoção propriamente ditos.





Um show especial também foi criado onde Xuxa levou para o palco o Xou da Xuxa (o programa). Tinha brincadeiras como a dança da laranja, das cadeiras e claro, a do karaokê. Estrela Guia abria o show. Beijinho Beijinho e Parabéns também eram cantadas, só Papai Noel dos Baixinhos ficou de fora. Claro que sucessos dos discos anteriores também marcaram presença. Foram 4 datas: 14, 15, 21 e 22 de novembro no Scala (RJ).

Matéria publicada em 14/11/1987

O show de estreia aconteceu com todos os ingressos vendidos antecipadamente. O preço do ingresso era de Cz$700,00 a mesa e Cz$500,00 a pista. Hoje isso seria algo em torno de R$180,00 a mesa e R$130,00 a pista. Não tão diferente do 1º lote de um XuChá, não é?


O anúncio do show publicado no jornal O GLOBO.
Todos ingressos da estreia foram vendidos antecipadamente!


Xuxa durante o show realizado no Scala em novembro de 1987


Falando em vendas, a expectativa era que o disco vendesse cerca de 1,5 milhão de cópias. Infelizmente não foi bem assim. Já era de se esperar que o álbum não vendesse tanto quanto o antecessor por conta de tudo que explicamos, mesmo assim o Karaokê não fez feio e no último registro oficial o número de vendas é 707.587 cópias (Fonte: NOPEM em citação do Jornal O Dia em setembro de 1993). Como o disco não teve lançamento em CD e depois dessa data somente houve uma mínima tiragem em LP no ano de 1995, os números não devem ter alterado em mais de 5 mil cópias (e olhe lá).


Mesmo não atingindo a expectativa de 1,5 milhão,
o Karaokê não fez feio nas vendas: mais de 700 mil cópias!


Todo mundo é uma criança
Pela primeira e única vez os personagens da Turma da Xuxa dividiram a capa de um disco com a apresentadora. As ilustrações de Reinaldo Waisman seguiram o padrão da contracapa do Xegundo Xou: os personagens não interagem com a Xuxa. Se no disco anterior eles admiravam fotos da loira, agora eles a vêem pelas TVs da TV X.

Reinaldo Waisman seguiu o mesmo estilo usado no disco anterior:
toda a Turma da Xuxa aparecia, mas sem interagir com a loira

Falando em fotos, poucas fotos desse ensaio foram divulgadas, os penteados e brincos de Xuxa são variados mas as poses e a presença do microfone são características semelhantes entre as fotos.

As fotos do ensaio são de André Wanderley.
Repararam que nas outtakes o microfone não tem "carinha"?


Curiosidades:
🎤 No Xou e no Xorteio: um dos programas que aparece na contracapa mostra algo não muito comum: Xuxa usando a mesma roupa durante o programa e no quadro dos sorteios. Para quem não sabe, os sorteios eram gravados após o programa e não necessariamente para fazer parte do programa que tinha acabado de ser gravado. Esse da foto, especificamente, foi ao ar pouco antes do lançamento. Ou seja, Xuxa tinha uma boa frente de programas gravados. Isso explica também o fato de no programa de lançamento, a imagem da capa ser incluída posteriormente na edição, ou seja, à época da gravação, a capa ainda não devia estar pronta para que Xuxa a mostrasse.


O programa que aparece na contracapa foi exibido poucos dias antes do lançamento.
Xuxa tinha uma boa frente de programas gravados no fim de 1987


🎤Xuxinha Coppertone: repararam na menininha que assiste concentrada às TVs? Acharam a imagem familiar? Menina loirinha de xuquinhas com cachorrinho puxando sua sainha e deixando o bumbum à mostra... lembraram de alguma coisa? O desenho é uma clara referência ao clássico anúncio do bronzeador e protetor solar da marca Coppertone. A Coppertone Girl surgiu em 1959 e virou marca registrada da empresa. 

A referência a Coppertone Girl de 1959 na contracapa do Karaokê


Beijinho Beijinho, Tchau Tchau
Sabiam que a música repete a frase mais de 30 vezes? Mas vamos fazer de conta que são 30 em comemoração aos 30 anos desse álbum que também marcou os baixinhos tanto quanto um álbum “tradicional” da Xuxa.

O Karaokê foi algo inovador na carreira da loira: um disco para brincar, o primeiro passo para as músicas natalinas, o novo “parabéns”, o microfone de brinquedo que depois veio para valer... Provavelmente todo mundo se perguntou na infância “será que vai sair o Karaokê com músicas do Xou 3, 4...?”. Não saiu, mas talvez seja o fato de ele ser o único que o faz tão especial na nossa caixinha da nostalgia, não é mesmo?

Todo baixinho dos anos 80 já se perguntou se ia ter Karaokê do disco 3, 4, 5...

Já que abrimos a caixinha da nostalgia, que tal ir lá naqueles LPs que você ainda tem guardados, procurar o Karaokê, pegar o microfone e ver se você ainda dá conta de cantar alguma música inteira sem errar o tempo? Ah, não tem mais o microfone? “Seus problemas acabaram”, a gente pensou nisso e pediu pro nosso parceiro @joao.fiuza refazer a arte original num arquivo pronto para você
baixar, levar na gráfica e reviver a emoção de montar o microfone depois de tanto tempo...
Clique na imagem abaixo para baixar:





"Hoje vai ser uma festa..." Nunca esses versos foram tão perfeitos para um aniversário como o que comemoramos hoje! São 30 anos do "Karaokê da Xuxa"! Três décadas de Parabéns da Xuxa, de Estrela Guia, Beijinho Beijinho... Um disco com apenas 4 músicas inéditas e muita história para se contar, não é mesmo?



quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Vídeo Exclusivo: Beijinho Beijinho

Está quase chegando o aniversário de 30 anos do "Karaokê da Xuxa" e a gente não poderia deixar "Beijinho Beijinho" de fora das comemorações. A música foi uma das 4 faixas inéditas do disco. Aprender a letra da música é fácil, queremos ver você aprender a coreografia... Já treinou seu espacate hoje?

 

domingo, 12 de novembro de 2017

Vídeo Exclusivo: Músicas de Natal da Xuxa (Karaokê da Xuxa 30 anos)

E não foi só nos aniversários que o "Karaokê da Xuxa" fez a diferença... Foi a partir desse disco que a Rainha começou a fazer as músicas natalinas que todo mundo ama. "Estrela Guia" e "Papai Noel do Baixinhos" fazem parte das 4 músicas inéditas que o disco trouxe. Dá o play e já entre no clima dos 30 anos do Karaokê... e do Natal, claro!



sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Xuxa e Márcia Cabrita

Hoje nos despedimos da atriz Márcia Cabrita. Alguns capítulos de sua história também fizeram parte da história de Xuxa. Márcia participou dos filmes "Xuxa e o Tesouro da Cidade Perdida"(2004) e "Xuxa Gêmeas" (2006). Ela também foi convidada de alguns quadros em programas da loira. Relembremos o dia em que Xuxa, ainda grávida de 3 meses, foi assistir à peça "Subversões III". Na ocasião Márcia homenageou Xuxa com uma versão bem peculiar de Doce Mel. Obrigado pelas risadas, Márcia!


Ao final do espetáculo, Xuxa sobe ao palco para receber o abraço do elenco da peça. Márcia Cabrita se vestiu de Xuxa para a performance de Doce Mel
Foto tirada em 17/01/1998, por Salvador Scofano para o jornal O DIA

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...